Adesivo de instrução de fixação de cadeira de rodas

 

Você já prestou atenção nos adesivos colados nos ônibus, indicando os passos para fixar a cadeira de rodas com cintos de segurança? Eles são confusos, e devem ser raras as pessoas que os compreendem numa situação que requer agilidade, ou seja, a pessoa tem poucos segundos para ler o adesivo e entender como fixar a cadeira.

 

 

Na imagem, vê-se o espaço para cadeirantes. Na lateral do ônibus, o adesivo com instruções para fixação de cadeira de rodas.

 

Por que não criar um novo adesivo?

 

No final de julho deste ano, o Cadeira Voadora recebeu um pedido diferente. Eduardo Monteiro, desenhista industrial, entrou em contato explicando que estava refazendo os adesivos de segurança dos ônibus da empresa onde trabalha, para transporte de passageiros em um aeroporto.

Vários deles estavam danificados. Mas, antes de refazê-los, decidiu promover algumas alterações, pois considerava que as ilustrações têm baixa legibilidade e são confusas. Estava decidido a desenvolver um desenho que comunicasse melhor a mensagem.

Então, desejou saber a opinião direta de quem utiliza o sistema. Como me explicou, a metodologia de projeto que é usada em Projeto Industrial (Industrial Design) inclui um procedimento que é de uso geral: consulta aos usuários.

 

Este é o adesivo comumente usado nos ônibus. Peca pelo excesso de detalhes.

 

Qual é a opinião de vocês sobre o adesivo acima?

No meu caso, inúmeras vezes tentei auxiliar funcionários a fixar minha cadeira, mas, no meio da correria, nem eles nem eu entendíamos direito as instruções. O desenho tem um excesso de detalhes, o que prejudica a compreensão. Resultado? Cadeira fixada de modo errado, ou mesmo cadeira sem fixação.

Que eu me lembre, nunca vi, em nenhum país, um adesivo que comunicasse bem a mensagem. E confesso que fiquei surpresa e feliz com o interesse do Eduardo em deixar a situação mais favorável. Nossa impressão como usuários é de que ninguém se importa com esses “detalhes”; que bom, estamos equivocados.

 

Preparação do novo adesivo

 

Consultei amigos da área do design, da arquitetura e da engenharia e o máximo que consegui foram estas instruções do Inmetro, fornecidas por Marcos Fontoura, engenheiro da BHTrans, ao qual agradeço muito pela atenção.

Clique aqui para acessar a portaria do Inmetro que trata do assunto.

A norma trata de dois adesivos: um indicando a reserva da área “para o uso de pessoa em cadeira de rodas ou acomodação do cão-guia” e outro adesivo “orientando o usuário em cadeira de rodas sobre a forma de fixação da cadeira e do cinto de segurança”. Isto está no final da p.20 e começo da p.21. Para esse último, a portaria apresenta o que chama de “exemplos” (um deles é o que concordamos não ser bom).

Após ter pensado bastante sobre o assunto, enviei ao Eduardo um áudio com minhas percepções e sugestões para melhorar o adesivo.

No início deste mês o novo design ficou pronto. A mensagem ficou objetiva e clara; é super legível, em minha opinião. Por isso, perguntei a ele se poderíamos fazer um post para o blog e mostrar o trabalho.

 

Este é o adesivo produzido pelo Eduardo, mais limpo, reduzindo ao máximo aquilo que impedia que a informação essencial fosse compreendida imediatamente.

 

Acho importante divulgar o adesivo que o Eduardo desenvolveu, pois é algo que pode colaborar para aumentar a segurança do usuário de cadeira de rodas.

Após esta longa apresentação, é o próprio Eduardo que conta para vocês como foi o desenvolvimento do novo layout.

 

Adesivo de instrução de fixação da cadeira de rodas

Por Eduardo Monteiro*

A pedido da Laura, vou narrar o desenvolvimento do adesivo de instrução de fixação da cadeira de rodas nos ônibus que fazem o transporte de passageiros na pista do aeroporto onde trabalho.

Meu trabalho é, através de desenhos gerados em programas de desenho, em um computador, produzir adesivos, em vinil (um tipo de plástico), recortados em uma máquina (plotter) conectada a ele.

Esses adesivos são então aplicados em alguma superfície, que pode ser uma placa de aço, uma parede ou um piso. No caso específico, o setor responsável pela manutenção dos ônibus requisitou a reposição dos adesivos de orientação de passageiros, que estavam danificados.

Ao visualizar o adesivo que instruía sobre a fixação da cadeira de rodas, percebi imediatamente que a complexidade dos desenhos atrapalhava a compreensão das operações de fixação da cadeira. Parti para a pesquisa na WEB, para localizar soluções melhores.

No meio da pesquisa, já meio desanimado (só encontrava soluções do mesmo nível), acabei descobrindo o blog “Cadeira Voadora” (excelente), da Laura, que orienta os viajantes cadeirantes sobre dificuldades e facilidades encontradas em viagens, que tinha tudo a ver com as questões que eu tentava resolver.

Começamos então a conversar sobre o problema, e através dessa comunicação percebi que as ideias que ela me passou coincidiam com o que, eu suspeitava, seria a solução. Parti para o uso dos pictogramas (desenhos esquemáticos definidos em normas técnicas) de cadeirante, já disseminados mundialmente.

O resultado ainda não é o ideal, mas acredito que houve alguma redução dos “ruídos” na comunicação.

 

O “antes” e o “depois”. Na minha opinião, o Eduardo atingiu a meta proposta.

 

E então, o que vocês acharam do novo adesivo? Melhorou a comunicação? Acham que facilitou a compreensão?

Deixem sua opinião nos comentários! Vamos gostar de saber!

 

Eduardo Monteiro é desenhista industrial desde 1982.

Tem fixação por leitura e lê desde literatura, poesia, ensaios, revistas, jornais e cartazes até rótulos. Gosta de tecnologia, cinema e comer bem…

É ainda bicicleteiro e motoqueiro.

Obrigada, Eduardo, pela colaboração!

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *