Cadeira Voadora está fazendo aniversário!

 

O balãozinho colorido levando um cadeirante é a marca registrada do Cadeira Voadora

 

Cadeira Voadora está fazendo aniversário! Foi em 15 de janeiro de 2011 que publiquei o primeiro texto, aqui, sem nenhuma pretensão. A ideia era ter um espaço para refletir sobre o universo da pessoa com deficiência e compartilhar experiências de viagem.

As postagens não eram frequentes, porque eu não tinha tempo, nem achava que o público seria tão receptivo. Mas me surpreendi! Chegavam cada vez mais comentários e e-mails, e a interação me motivou a continuar.

Entre tantas mensagens me contando como o blog estava fazendo diferença na vida da pessoa, estava esta que nunca mais saiu da minha memória:

Eu também quero ser uma cadeira voadora.

 

E assim eu fui percebendo a extensão da minha responsabilidade. Para conhecer um pouquinho dessa história, continue lendo!

 

Sempre pensei que seria um desperdício se eu não compartilhasse minhas experiências de viagem. Esta é uma das primeiras fotos que postei; foi tirada em Poços de Caldas, MG, em um local sem nenhuma acessibilidade…

 

Retrospectiva

 

Em junho de 2015, com o crescimento da interação com o leitor e as novas demandas, o blog ganhou casa própria: saiu da plataforma Blogspot e migrou para a WordPress com uma carinha nova, sua primeira logo (presenteada pelo Onofre, um grande amigo e incentivador), e um design bem colorido, leve e alegre feito pelo Victor Ribeiro.

Logo colorida do Cadeira Voadora

Em janeiro de 2017, Tina Duarte veio trabalhar com a gestão das mídias sociais. Tudo ficou bonito, criativo e movimentado com a presença dela, num momento difícil para mim, porque passei o ano com inúmeros problemas de saúde. Então, essa ajuda possibilitou que a roda continuasse girando.

Nesse intervalo de tempo, o Cadeira Voadora recebeu e continua recebendo muitas colaborações de leitores: dicas de acessibilidade em viagens, direitos, reflexões sobre a vida e sobre os sentimentos das pessoas com deficiência e por aí vai. Foi um movimento espontâneo e muito rico!

Além disso, fiz palestras na área do turismo acessível e da mobilidade urbana, assessorei acadêmicos e profissionais de arquitetura e design, participei de congressos. Está sendo uma trajetória significativa, que me deixa bastante contente.

 

Amigos do Cadeira Voadora

 

Em dezembro de 2017 aconteceu o 1º Encontro dos Amigos do Cadeira Voadora, ocasião em que presenteei os queridos com bottons e marcadores de páginas do blog. Outros encontros virão por aí!

Em 2018, o blog vai adentrar uma nova fase. Só que isso eu vou contar em outro post!

Mas não se preocupem! As viagens continuarão, porque elas movem o meu mundo: me deixam cheia de energia e inspiração. A proposta de deixar asas na sua porta permanece de pé!

Afinal, o objetivo dessas narrativas é colaborar para que as pessoas com deficiência possam descobrir que têm DNA de passarinho, tal como eu.

 

No 1º Encontro dos Amigos do Cadeira Voadora, muita alegria por estarmos juntos!

 

Diferenciais Cadeira Voadora

 

São, portanto, sete anos de criação do blog e quase três de mudança de endereço, que marcou o início de uma perspectiva mais “profissional”. Ou seja, deixou de ser hobby e terapia para se transformar em compromisso social.

Aliás, corrijo: ele nunca vai deixar de ser terapêutico para mim, porque me possibilita clarear as ideias, interagir com o outro e aprender com ele, exercitando a empatia, e lutar por um mundo mais inclusivo.

Para lidar com essas perspectivas, entendo que não é possível abrir mão da qualidade. Faço pesquisas constantes, para aprofundar-me nos temas tratados. Quando produzo posts sobre hotéis, equipamentos e instituições, procuro distinguir o que é mero comércio do que de fato tem qualidade. Para entrevistas, busco pessoas que são referência naquilo que fazem.

E, por fim, os textos são autorais. Não são copiados de outros blogs e sites. Eles trazem pesquisa e experiência, minhas ou dos colaboradores. Podem confiar!

 

Em minhas viagens, registro a acessibilidade dos locais que visito (Foto: Marta Alencar)

 

Agradeço com um presente

 

Estes são os bottons e os marcadores Cadeira Voadora

Jairo e seu Malacabado!

A Laura não seria Laura sem o olhar que reconhece todo auxílio que recebe. “Gratidão é memória do coração”, disse alguém. E a minha memória do coração é muito eficiente…

Muito obrigada a todos que me ajudaram a construir um sonho chamado “Cadeira Voadora”. Antes de ser destinado a qualquer outra pessoa, o blog foi um presente que eu me dei e que vocês me deram.

E por estar muito feliz desejo distribuir uns presentinhos!

1) Vocês terão acesso a um e-book contendo o passo a passo de como preparar uma viagem acessível, com auxílio de agência ou não. Aguarde. Sairá nos próximos dias!

2) Sortearei 02 (dois) kits contendo, cada um, dois bottons e três marcadores de página do blog!

3) Sortearei o1 (um) livro Malacabado, do Jairo Marques.

Para participar do sorteio, basta deixar uma pergunta aí embaixo, nos comentários, sobre o planejamento de uma viagem com acessibilidade. A pergunta precisa ser clara, objetiva e fazer sentido. Todos podem participar, mas apenas uma vez. E, se o ganhador não morar no Brasil, o frete fica por conta dele, combinado?

O sorteio será realizado no dia 21 de janeiro, e o resultado será postado no mesmo dia, no Instagram e no Facebook. A pessoa terá cinco dias para me enviar seu endereço completo por mensagem direta ou por e-mail. Participem!!

 

Um grande beijo e continue voando conosco!

 

Laura Martins

Autora do blog

 

Para saber mais:

Quem sou eu

Endereço antigo do blog

 

 

Compartilhe

17 Comments

  1. Laura, como planejar uma viagem a locais de neve, ja foi a alguma estação de ski?
    Nossas rodinhas não gostam muito de neve né.

    • Olá, Monica! Sua pergunta é ótima.

      Costumo dizer às pessoas que cadeira de rodas é como sapato: a gente precisaria de um tipo diferente para cada situação. Só que a cadeira custa MUITO mais que um calçado, e nós não temos condições de ter tantas assim… Além disso, onde guardaríamos? rsrs

      Para rodar na neve, seriam necessários, no mínimo, pneus adequados à situação.

      Nunca fui a locais com neve, mas conheço cadeirantes que já foram. Quando é uma estação de ski adaptado, existem equipamentos próprios para a pessoa com deficiência. Agora, quando está nevando na cidade que está sendo visitada, eu não saberia te informar como se virar. Vou procurar saber!

      Obrigada pela pergunta! Seu nome já está registrado para o sorteio. Um bjo!

  2. Já sonhei e planejei várias viagens. Mas desisti! Não consigo viajar sozinha e nunca consigo uma acompanhante!

    • Então, deixe uma pergunta para que eu responda, senão vc não pode participar do sorteio, e eu quero que vc participe, moça!
      E quem sabe vc consegue um acompanhante depois da nossa conversa? 😉
      Bjo, bjo!!!

  3. O Brasil tem ‘know how’ para receber cadeirantes de outros países que queiram aproveitar as belezas daqui?

  4. Pedro Henrique Muriel Bertolini

    Laurinha, você sempre será nossa poesia! Obrigado por tudo-nada! Beijão,

    Pedrão Muriel Bertolini

  5. Você sabe sobre intercâmbios acessíveis? Gostaria de algum dia fazer um para a Nova Zelândia ou Austrália… Desde já parabéns pelo blog e esses serão 7 de muitos outros que virão! 😉

  6. Como fazer uma viagem gastando pouco e sem esquecer da acessibilidade? Como você planeja financeiramente sua viagem, volta da viagem sem dívidas e dores de cabeça ou volta da viagem arrependida e com sua saúde financeira na UTI? ✈💊

  7. Oi, Laura!
    Que essa cadeirinha siga turbinada em 2018.
    Parabéns pelo sucesso do blog!
    Depois de todas as viagens que vc já fez, qual lugar você considerou mais acessível para cadeirantes? E como os estrangeiros reagem a um turista cadeirante?
    Beijão, cada vez mais sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *