Cadeira Voadora no Chile | acessibilidade para cadeirantes

Aqui começa uma nova série de posts: Cadeira Voadora no Chile. Acompanhe e anote os detalhes para percorrer Santiago, vinícolas e cidades próximas de cadeira de rodas!

 

É outono, e as fotos no Chile ganharam o dourado das folhagens. Esta foto foi tirada na vinícola Concha y Toro (Todas as fotos pertencem ao acervo Cadeira Voadora e forma tiradas por Ulysses Martins, Cláudio Corrêa ou por mim.)

É outono, e as fotos no Chile ganharam o dourado das folhagens. Esta foi tirada na vinícola Concha y Toro
(Todas as fotos pertencem ao acervo Cadeira Voadora e foram tiradas por Ulysses Martins, Cláudio Corrêa ou por mim.)

 

 

Vou ser honesta: não era meu sonho conhecer o Chile. Vários amigos já tinham visitado o país e apreciado bastante, mas minha lista de desejos continha outras paragens. Entretanto, resolvi conhecê-lo e pretendo retornar, porque me apaixonei pelos lugares que visitei e passei a nutrir grande simpatia pelo povo chileno.

Era a segunda vez que Ulysses, um dos meus irmãos, me convidava para fazer companhia a ele numa viagem à terra do poeta Pablo Neruda. Desta vez, eu não tinha nenhuma viagem agendada, minha mãe achou a ideia atraente, então fechamos e começamos os preparativos.

Comecei a pesquisar sobre o país e os locais que pretendíamos visitar, e meu interesse foi só crescendo.

Nesta nova série de posts, vou te contar os detalhes dos preparativos para a viagem, te falar sobre cores e sabores, passeios e curiosidades, acessibilidade e desafios, para que você possa aproveitar a viagem usando cadeira de rodas ou qualquer outro equipamento de mobilidade.

Vamos comigo? Tomara que você se apaixone pelo Chile tanto quanto nós!

 

Estou na linda Praça Baquedano, em Santiago.

Estou na linda Praça Baquedano, em Santiago.

 

 

Preparativos

 

Boas tarifas de companhia aérea, hotel acessível e bem localizado, motorista para fazer conosco passeios fora de Santiago (a capital do Chile): esta era nossa lista das prioridades. Aos poucos, fomos resolvendo uma a uma, apesar de termos enfrentado alguns imprevistos e mudanças de planos. Mas, no final, tudo deu certo.

Pesquisamos o hotel em sites de consolidadoras, tais como Booking e Hotéis.com, para fazer uma seleção inicial. Os critérios principais: ser acessível e estar em um bairro próximo do centro de Santiago, para que pudéssemos fazer passeios a pé. Definidos três hotéis em Santiago, procuramos uma agência de turismo e constatamos que as tarifas oferecidas por ela estavam melhores do que nos sites que pesquisamos; além disso, optar pela agência nos poupou trabalho e tempo, e ela parcelou o hotel em infinitas vezes. Eba.

Mas adquirimos as passagens por conta própria, porque queríamos usar milhas. Optamos por voar pela Latam, para infelizmente constatar como os serviços pioraram bastante. Isso eu te conto em outro post.

Percorremos muitos blogs com posts sobre o Chile, e foi a simpática Rosi, do Nós no Chile, que nos indicou a agência para os passeios fora da capital. Os bons blogs de turismo formam uma rede de ajuda, e é maravilhoso poder contar com isso. No Para Saber Mais, abaixo, te dou uma lista dos blogs aos quais recorri…

Um alerta: o melhor preparativo de viagem é cuidar da saúde. Afinal, seu corpo e sua mente precisam estar preparados para encarar os desafios. Por melhor que seja a viagem, se ela não te mostra nada de novo também não colaborará com seu amadurecimento e com sua capacidade de alargar seus limites. Então, com alguma antecedência, faça seu check-up, cuide bastante da sua musculatura e do seu sistema imunológico. Uma infecção urinária ou uma gripe forte atrapalham bem a vida, concorda?

Para me preparar ainda melhor, fiz algumas aulas domiciliares de espanhol. Valeu a pena mesmo, porque não há nada como poder indicar aos outros, com maior precisão, as suas necessidades, além do que interagir com os moradores é algo que não tem preço.

 

Em Santiago, o passado se une ao presente com muita beleza.

Em Santiago, o passado se une ao presente com muita beleza.

 

 

Mobilidade em Santiago

 

Andamos bastante a pé, porque o hotel que escolhemos tem uma localização fantástica: fica na Av. Libertador Bernardo O’Higgins, ao lado de duas importantes estações de metrô (Universidade Católica e Baquedano), a uma quadra da Praça Baquedano, a duas quadras da famosa rua José Victorino Lastarria e a três do Cerro Santa Lucía.

A não ser pelos cerros (montes), a cidade é bastante plana, o que facilita os deslocamentos.

Pelo que pesquisei, todas as estações de metrô são acessíveis. Só usamos este meio de transporte uma vez, mas gostamos muito. Me pareceu seguro, não é caro, e, pelo menos nas duas estações que utilizamos, não havia distância entre a entrada do trem e a plataforma.

Também fiquei sabendo que os ônibus são adaptados, mas não utilizamos.

Recorremos a Uber e Cabify e não pegamos táxi, porque em vários blogs encontramos queixas de que os motoristas em Santiago costumam enganar turistas.

Problemas com Uber: por duas vezes, motoristas cancelaram nosso pedido após terem começado a se deslocar para onde estávamos, o que aumentou muito o tempo de espera; um dos motoristas que pegamos, por mais que tentasse, não conseguiu encostar o carro no meio-fio para que eu pudesse embarcar e desembarcar (não acreditei que isso estava acontecendo… rs); dois dos motoristas que pegamos não usaram o Waze e erraram caminho (você pode não acreditar, mas fomos nós que ensinamos o caminho a ele). Mesmo assim, creio que vale a pena, porque os preços são tão bons como aqui. E porque o aplicativo mostra o trajeto e o valor, e dessa forma não somos enganados.

Problemas com Cabify: nenhum. Tudo perfeito. E o preço é equiparado a Uber.

 

A acessibilidade do hotel era acima da média, mas não perfeita.

A acessibilidade do hotel era acima da média, mas não perfeita.

 

 

Agência contratada em Santiago

 

Como já antecipei, contratamos motorista para fazer os passeios fora de Santiago. Ficamos satisfeitíssimos com o serviço. Contudo, caso você prefira, é possível fazer esses passeios usando metrô combinado com táxi. Os blogs de viagem ensinam direitinho. Porém, preferimos poupar tempo e evitar estresse.

A Rosi, do blog Nós no Chile, foi muito gentil e me apresentou ao Nicolás, da Bossa Turismo. Conversei com ele quase todos os dias pelo WhatsApp, durante cerca de três semanas, para combinarmos tudo: passeios, trajetos, valores, horários.

Desde o início Nicolás, que se comunica muito bem em português, se mostrou muito gentil, claro e objetivo. Compreendeu perfeitamente minhas necessidades específicas sem que eu precisasse ficar explicando.

O carro da agência é uma Van Hiunday H1, grande e confortável. Consegui entrar sem plataforma, com a ajuda do meu irmão e do motorista, mas tenho os braços fortes e bom equilíbrio. Se não for seu caso, é melhor pedir uma van com plataforma.

O motorista que nos buscou no aeroporto e fez os passeios conosco foi o Cláudio Corrêa, que é um brasileiro muito simpático, prestativo e proativo. Além disso, dirige muito bem e ainda atua como anjo da guarda… rs

Todas as indicações e informações que nos passou foram preciosas. E com certeza eu não conseguiria alcançar alguns locais se não fosse pelo auxílio dele.

O motorista que nos levou ao aeroporto foi o Anthony, que é chileno, mas fala português; também é muito simpático e prestativo. No atrapalhado e lento check-in da Latam, no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, nos auxiliou calmamente a resolver todos os perrengues.

Só temos a agradecer a todos eles pelos excelentes serviços prestados.

 

Nicolás | www.bossaturismo.cl | +56 9 94452131 (WhatsApp) | bossaturismo@gmail.com

Cláudio Corrêa | Instagram: @turischilebr2017

 

Na foto, estou com o Cláudio na vinícola Veramonte.

Na foto, estou com o Cláudio na vinícola Veramonte.

 

 

Feriados irrenunciables

 

Nosso planejamento de datas previa a comemoração do meu aniversário no Chile (dia 19 de abril). Porém, o governo criou, exatamente em 2017, um feriado irrenunciable no dia 19, para recenseamento. Afe.

Sabe o que significa isso? Nesse tipo de feriado, nada abre. Tivemos notícia de que provavelmente abririam as praças de alimentação de shoppings e alguns restaurantes. Mas nada abriu. Encontrávamos com turistas pelas ruas, com o olhar perdido, com sede, fome, sem encontrar nada aberto.

Depois de andar muito, finalmente encontramos um açougue aberto, onde compramos água mineral. Pelo menos não ficamos com sede (a água mineral pequena no hotel custa o valor absurdo de 2.500 pesos, ou cerca de R$12,50).

Por isso, pesquise os blogs de turismo para não ir parar no Chile nos feriados irrenunciables, ok? Saiba que o governo não está nem um pouco preocupado se você vai passar sede ou fome, lamentavelmente.

 

Acessibilidade

 

A acessibilidade é variável, tanto em Santiago quanto nos demais lugares que visitamos. Não me pareceu tão avançada quanto nas principais capitais brasileiras, a não ser pelo metrô. De qualquer modo, fiquei muito feliz por poder visitar as vinícolas, que estão se preparando para receber bem as pessoas com mobilidade reduzida.

Nos próximos posts trarei detalhes, incluindo fotos. Tenho certeza de que vai achar algumas coisas bastante curiosas, como, por exemplo, um banheiro adaptado cuja descarga tinha de ser acionada com o pé!!!

 

Rampa no Museo Rioja, em Valparaíso

Rampa no Museo Rioja, em Valparaíso

 

 

Fico hoje por aqui, pessoal. Em breve, posts sobre as vinícolas, sobre Santiago, Valparaíso e Viña del Mar. Aguarde!!

 

A fotogênica Cordilheira dos Antes em foto tirada por Ulysses da janelinha do avião... <3

A fotogênica Cordilheira dos Antes em foto tirada por Ulysses da janelinha do avião… <3

 

 

Para saber mais:

 

Série #CadeiraVoadoraNoChile

 

Valparaíso e Viña del Mar

Vinícolas: Concha y Toro, Santa Rita e Veramonte

Hotel acessível em Santiago

Viagem aérea (Latam) e aeroporto de Santiago

 

Chile em outros sites e blogs

 

Nota: quando indico blogs ou sites, isso não significa que eu concorde com todas as percepções dos autores, principalmente nos que oferecem informações sobre acessibilidade. Mas mesmo assim indico, porque oferecem informações detalhadas e importantes. Sobretudo, preste atenção nas datas de cada post e se foram atualizados, porque tudo muda o tempo todo! 😉

 

Nós no Chile

Dúvidas frequentes sobre viagem para o Chile

Santiago no blog Viaje na Viagem

Santiago para cadeirantes no blog Mão na Roda 

Chile para cadeirantes no blog Casadaptada

Santiago para cadeirantes no BHLegal

Como é Santiago para deficientes

Metrô de Santiago – acessibilidade

Un recorrido por Santiago: rutas y accesibilidad universal

 

Sim, nós comemos muito bem. Vamos te indicar restaurantes nos próximos posts!

Sim, nós comemos muito bem. Vamos te indicar restaurantes nos próximos posts!

 

Paisagens lindas que enchem nossos olhos de cor e de beleza! Na foto, estamos na Concha y Toro.

Paisagens lindas que enchem nossos olhos de cor e de beleza! Na foto, estamos na Concha y Toro.

 

 

Compartilhe

8 Comments

  1. Olá, Td bem? Meu nome é Amanda e sou aluna da UAM no curso de Publicidade e Propaganda.

    Tenho um questionário de perguntas para que nós, alunos, consigamos identificar o perfil do consumidor cadeirante (Locomoção) para um trabalho. Gostaria quem respondessem ao questionário e se possível também compartilhá-lo com outros cadeirantes.

    Segue link do formulário.
    https://goo.gl/forms/LhQQVJIENY81RQot1

    Obrigada!

  2. Laura,
    acabo de ler seu post e que delícia de leitura. Fico muito feliz que tenha dado tudo certo com a sua linda viagem. O Chile é mesmo incrível. Já estou ansiosa aguardando os próximos posts. Obrigada por citar o Nós no Chile. E olha a coincidência de nos duas sermos de BH. Beijo grande!

    • Puxa, Rosi, que bom que gostou! Sim, uma super coincidência sermos as duas de BH.
      O post sobre as vinícolas já está no ar. Espero que goste também e que ele a ajude a informar seus leitores com deficiência ou mobilidade reduzida.
      Um grande beijo!

  3. Laura, fiquei maravilhada com seu relato… simplesmente incrível!
    Estou indo para o chile na próxima semana e estou pensando em fazer meus passeios com a Bossa… você poderia me dar mais referências?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *