Mercado Municipal de São Paulo: por que vale a pena conhecer

 

Visitar o Mercado Municipal de São Paulo é uma experiência de cores, aromas e sabores que vc não pode perder!

 

Tirei esta foto do Mercado Municipal quando estava no mezanino. Veja que bonito. (Todas as fotos pertencem ao acervo Cadeira Voadora)

Tirei esta foto do Mercado Municipal quando estava no mezanino. Veja que bonito. (Todas as fotos pertencem ao acervo Cadeira Voadora)

 

Por Laura Martins

 

Quem é leitor antigo do blog sabe que eu amo São Paulo, essa cidade que tem tanto de metrópole quanto de cidade histórica, tanto de engarrafamentos quanto de parques. Basta procurar: atrações não faltam. Aproveite um feriado e pegue seu voo rumo a Sampa para saber por que “alguma coisa [sempre] acontece no meu coração”. Nesta minha mais recente passada por lá (foram somente três dias), fui bater ponto num lugar obrigatório, mas que eu ainda não conhecia: o Mercado Municipal. Quem me levou foi a Ida, amiga de Campinas, que vc já conhece de outros posts…

A seguir, dicas para experienciar esse templo das cores e sabores usando sua cadeira de rodas, suas muletas ou seu andador (ou o instrumento tecnológico que vc possuir…).

 

Estacionamento

 

Nas imediações do Mercado é possível encontrar alguns estacionamentos pagos, mas os preços são extorsivos. Fiquei tão traumatizada que nem me lembro do valor.

No Mercado há estacionamento externo, descoberto, mas pequeno. São apenas duas vagas para pessoas com deficiência (se não me engano, há mais duas para idosos). Para estacionar, basta usar o Zona Azul (agora tem aplicativo).

Porém, porém, porém: para entrar, é preciso enfrentar uma fila de automóveis, pequena ou desesperadoramente imensa, dependendo do dia e do horário em que vc teve a feliz ideia de ir parar lá. No nosso caso, fomos numa quinta, por volta das 11 horas, e havia uns 10 automóveis na nossa frente, aguardando que alguma vaga se desocupasse.

Vc pode me perguntar: mas não existe prioridade para pessoas com deficiência nessa fila? Não, não existe, até porque não há funcionário disponível para passar em cada um dos automóveis perguntando quem dispõe da credencial que dá direito a ocupar as vagas reservadas.

É útil lembrar: vc só tem direito à vaga se tiver a credencial. E vc não pode parar na vaga de idoso, assim como o idoso não pode parar na nossa.

Conselho: dependendo das suas condições, considere o transporte público, táxi ou Über, especialmente nos dias e horários mais movimentados. Se for de automóvel próprio, prefira os dias menos movimentados e os primeiros horários da manhã (ele abre às 6 horas).

 

Ida e eu no Hocca Bar, o templo dos pastéis de bacalhau!

Ida e eu no Hocca Bar, o templo dos pastéis de bacalhau!

 

Por que visitar

 

♥ Pela arquitetura e pelos vitrais: é uma construção efetivamente muito bonita.

♥ Pelos cheiros, cores e sabores: é indescritível a experiência sensorial. E, como o galpão é bastante arejado, com pé-direito alto, vc não se sente sufocado.

♥ Pela variedade de frutas, queijos, peixes, azeites e especiarias raras – e muito mais! Há itens do mundo inteiro, e eles podem ser provados!

♥ Pelo sanduíche de mortadela, o pastel e o bolinho de bacalhau, que são verdadeiras instituições do Mercado. Certamente eles não são encontrados nesse tamanho pornográfico em nenhum lugar do mundo… hahaha E o pastel do Hocca Bar eu experimentei: imeeeeeenso e delicioso (dá pra duas pessoas, hein?).

 

Grapefruit, Pitaia, Jamelão, atemoia, graviola e cupuaçu, groselha, Longan e Xirimoya. Há algum nome desconhecido? Com certeza. A cada banca de frutas do Mercadão, o visitante é surpreendido por espécies que vem dos quatro cantos do mundo. Se diversidade é a palavra de ordem por aqui, nas suas bancas de fruta ela é uma constante. Ainda há uma infinidade de nozes, amêndoas, castanhas e azeite, como o conhecido e forte trufado. Há muito mais o que conhecer no Mercadão, outros ingredientes, outros temperos e sabores escondidas, que aguardam ansiosamente para serem descobertos. Depois dessa aventura frutífera, com o perdão do trocadilho, é hora de fazer uma pausa para o almoço.

Leia o texto completo aqui.

 

Dica: vá até o mezanino, aprecie a vista, tire umas fotos e aproveite para comer sossegadamente. Mas cuidado com o horário, pois vc pode ter de amargar uma longa espera pela refeição.

 

Acessibilidade

  • Há duas vagas reservadas para pessoas com deficiência
  • Rampa na entrada
  • Rampas para os corredores laterais, mas são um pouco íngremes
  • Dois elevadores, um em cada extremidade do galpão (são pequenos e, quando fomos, um deles estava com defeito)
  • Banheiro adaptado amplo, mas não muito limpo nem muito adequado

 

É um programa imperdível! E, como vc viu, para evitar perrengues basta algum planejamento. Nos links que te informo abaixo, dá para saber mais e se programar. Até a próxima!

 

Para saber mais

 

Este blog tem vários posts sobre São Paulo. Para encontrá-los, clique aqui.

Portal do Mercado Municipal de SP

Acessibilidade na Prática | Passeando pelo Mercado Municipal Paulistano

13 Delícias do Mercado Municipal de São Paulo (SP)

Um passeio sensorial pelo Mercado Municipal de São Paulo

São Paulo: city tour em 7 horas

 

Compartilhe

2 Comments

  1. Christina e Marcelo

    Adoramos suas dicas e tirou nossas dúvidas com relação a acessibilidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *