Turismo de baixo custo | 9 dicas para se divertir na Avenida Paulista

 

Não é preciso gastar rios de dinheiro para ter acesso a passeios encantadores. Duvida? A nova coluna do blog trata disso e se chama “Turismo de baixo custo”. Hoje vamos falar de como uma caminhada pela extensa Avenida Paulista pode ser algo muito agradável de se fazer, principalmente num domingo pela manhã!

 

Esta foto foi tirada em 1º/1/2015. Estou na Paulista, num domingo bem cedinho, passeando com a Ida, minha amiga de Campinas (Todas as fotos pertencem ao meu acervo, exceto quando indicado)

 

Não, a Avenida Paulista não é só um centro empresarial e financeiro, como muitos podem ser levados a crer. A principal avenida de São Paulo tem atrações culturais, parques, restaurantes, cafeterias, cinema e também feiras e shoppings, caso você queira fazer uma comprinha básica…

No domingo, então, a via se transforma numa festa! Ela fica bloqueada para carros e aberta para pedestres e ciclistas, das 9h às 17h. O cinza da cidade cede espaço a uma profusão de cores, o barulho dos carros dá lugar à algazarra das crianças; skates, bicicletas e cadeiras de rodas disputam espaço alegremente (e às vezes perigosamente…).

São 2,7 quilômetros de pura diversão, com bastante acessibilidade para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida, já que podem evitar as calçadas, muitas vezes irregulares, e caminhar pelas ruas tranquilamente. Pode-se dizer que a avenida é plana, embora tenha uma inclinação lateral. Vá rodando pelo centro da via, próximo à ciclovia. Banheiros acessíveis podem ser encontrados nos shoppings da região.

 

Avenida Paulista cheia no domingo. Foto: Uol Notícias

 

Duas coisas que você deve saber: tem bastante gente até quando chove, mas é nos dias ensolarados que a Paulista fica muito, muito cheia, especialmente por volta do horário de almoço; é bom chegar cedo. E, mesmo que você esteja hospedado nos hotéis da região, não ficará sem táxi ou Uber. O trânsito de automóveis é permitido para embarque e desembarque. Confirme isso com seu hotel durante a reserva.

Vamos ao que interessa: o que tem de bom na Avenida Paulista, principalmente aos domingos?

 

9 dicas para se divertir na Paulista

 

1) Como o trânsito de automóveis está fechado, aproveite para observar a cidade por outro ângulo, sem pressa e sem medo de ser atropelado. Admire os belos edifícios!

Isso não significa que você possa se descuidar de seus pertences; tenho notícias de que, no local, há assaltantes que passam de bicicleta e carregam os celulares das pessoas mais distraídas, mas nunca presenciei isso.

2) Parque Trianon – É incrível como de repente surge um parque tão bonito e agradável no meio da confusão da Paulista! Aproveite para relaxar um pouco e curtir o frescor das árvores. Relativamente acessível para cadeirantes, porque o calçamento é de pedra, e o terreno, em certos pontos, acidentado. Nessa região, você encontra uma feirinha de artesanato e comida!

3) Artistas de rua se espalham pela Paulista em quase toda a sua extensão. E há músicas para todos os gostos, das mais sofisticadas às mais populares.

4) Aula gratuita de zumba, com uma animação incomparável, pode ser encontrada no vão em frente ao Shopping Center 3, local onde encontramos também uma feira de artesanato com ótimos produtos. Neste shopping também há uma excelente praça de alimentação e bons banheiros adaptados.

 

 

5) Quem gosta de arte não deve deixar de visitar o Masp (Museu de Arte de São Paulo). Ele abriga o principal acervo da América Latina e está na lista dos museus mais visitados da cidade; por isso, a fila pode ser grande. Em caso afirmativo, considere voltar num outro dia, porque a visita pode ficar desconfortável.

Mas, aos domingos pela manhã, o vão livre recebe uma feira de antiguidades, que é uma referência nacional no setor. O museu é totalmente acessível para cadeirantes, mas a feira de antiguidades não, porque o piso do vão é calçado com pedras. É quase impossível circular de cadeira sem auxílio, até porque a distância entre uma barraca e outra não é muito grande. Se o local estiver cheio de gente, esqueça…

 

O piso é recoberto com pedras, nem um pouco fáceis para cadeirantes. Imagem: Guia Folha

Estive novamente no Masp na mostra Portinari, com Ricardo. Perdi a conta de quantas vezes visitei o museu.

 

6) Ir à Paulista e não passar na Livraria Cultura do Conjunto Nacional me parece um absurdo. Ela é linda, tem um acervo admirável, e a sua cafeteria é bastante agradável. No local, ainda tem cinema e o Teatro Eva Herz,

7) Casas das Rosas –  Volte à época dos casarões da Avenida Paulista visitando a Casa das Rosas. Sim, tem acesso para cadeirantes: rampa na entrada, elevador para o segundo piso e banheiro amplo, embora sem itens de acessibilidade.

No local, há um centro cultural, com uma extensa programação de literatura, teatro e música. Do lado de fora, um jardim delicioso, com rosas, é claro! E uma cafeteria pra lá de agradável e charmosa! Amei! O percurso é facílimo para cadeiras de rodas.

 

Entrada da Casa das Rosas tem rampa

Veja que lindo o piso hidráulico da entrada!

Apesar de ser outono, as flores estavam lindas.

Pegando o elevador e alcançando o terraço, esta é a vista que se tem. Do lado esquerdo está a cafeteria.

Cafeteria da Casa das Rosas

 

8) Japan House – Recém-inaugurado, e em frente à Casa das Rosas, é um espaço dedicado à cultura japonesa. Vale a visita pela linda arquitetura, mesmo quando não houver nenhuma exposição. O espaço é quase todo acessível para cadeirantes, com exceção dos jardins. Estranho, né? Não gostei disso não… Tem restaurante amplo e uma pequeníssima cafeteria com produtos da culinária japonesa.

9) Esta é uma dica MUITO pessoal: passe no shopping Cidade de São Paulo para comprar chocolates na loja Lindt… Hummmmmmmmmmmm!

 

Banheiro do apartamento adaptado no Ibis Paulista

 

Hotéis

 

Por fim, uma palavrinha sobre hospedagem.

Fiquei na região várias vezes, algumas delas no Tryp Paulista e outras no Ibis Paulista. Compare características lendo os posts a respeito (citados abaixo), compare também os preços (mudam a cada época) e faça sua mala.

Passear na Paulista é um programa delicioso – e só vai custar seu almoço. Ah, não: os chocolates também!

 

São Paulo é muito mais que a Paulista, é claro. Na foto, o Mercado Municipal.

 

Para aproveitar mais São Paulo, leia os seguintes posts:

 

Passeando em São Paulo com cadeira de rodas

Pinacoteca do Estado de São Paulo

7 razões para visitar o Museu do Futebol

Acessibilidade no Cine Joia

Avaliação de hotel | Ibis São Paulo Paulista

Mercado Municipal de São Paulo

Eataly São Paulo

Solo Sagrado de Guarapiranga

Chefs Especiais Café

 

Para saber mais:

 

Avenida Paulista aos domingos | Veja São Paulo

25 motivos para amar a Avenida Paulista

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *