Salão de beleza acessível em Belo Horizonte

O balcão de recepção fica numa altura adequado para o atendimento do cadeirante

Sou recebida com dignidade, pois o balcão fica numa altura adequada para que o cadeirante possa ser atendido sem ter de ficar olhando para cima

 

Por Laura Martins

Atualizado em 15.02.2017

 

Pouco a pouco a sociedade vem transformando os espaços públicos a fim de torná-los inclusivos, ou seja, para tod@s. Mas há um setor que tem resistido a aderir a essa mudança: o dos salões de beleza. No Brasil ou no exterior, quantos salões você conhece que sejam adequados para pessoas em cadeiras de rodas ou com mobilidade reduzida?

Tradicionalmente somos nós, pessoas com deficiência, que temos assumido o papel de nos adaptarmos à sociedade. É recente a concepção de que é a sociedade que tem que se transformar.

No caso do salão de beleza, é comum que tenham degraus, quando não escadas. A bacia para a lavagem dos cabelos em geral é presa à poltrona, o que faz com que pessoas com mais limitações precisem ser carregadas. Isso representa risco de queda, e no mínimo pode causar constrangimento, tudo para realizar um procedimento que poderia ser muito mais simples se o lavatório fosse uma peça separada da poltrona, ou se o salão contasse com alguma adaptação para a lavagem dos cabelos.

Outros problemas dizem respeito à falta de espaço para acomodar o cadeirante: é assustadora a necessidade atual de aproveitamento de todos os centímetros dos locais. Não há mais espaço livre! Sendo assim, cadeirante no salão pode vir a ser sinônimo de uma luta para mover poltronas, que são colocadas provisoriamente no meio do caminho…

Mais dificuldades? Muitos salões têm sobreloja, inacessível. Macas de depilação? Inacessíveis! Banheiro? Costumam ser acessíveis apenas para a Olívia Palito; lembra-se dela, ou vc é muito jovem para isso? 😉

Então, gente, que felicidade quando eu recebi um simpático e-mail de uma proprietária de salão de beleza me convidando a conhecer seu espaço, que é… ACESSÍVEL!!!!!

É sobre isso que vamos falar agora! Abram alas para a Flávia e seu discernimento de criar um espaço para tod@s! Gravei uma breve entrevista com ela, para que vc saiba como é que surgiu O Seu Salão!

 

O Seu Salão tem entrada sem degrau

O Seu Salão tem entrada sem degrau

 

Na área de cuidados com os cabelos, as poltronas podem ser afastadas para acomodar a cadeira de rodas

Na área de cuidados com os cabelos, as poltronas podem ser afastadas para acomodar a cadeira de rodas

 

 

Entrevista | Flávia Fernandes Marinho

 

A Flávia, que está ao meu lado, além de mostrar visão de negócios, ainda é uma competente profissional

A Flávia, que está ao meu lado, além de mostrar visão de negócios, ainda é uma competentíssima profissional

Cadeira Voadora | Como você teve a ideia de criar um salão para tod@s?

Flávia | Minha mãe é cabeleireira; começou com um salão muito simples. Desde os 12 anos, comecei a ajudá-la. Sempre gostei muito; para mim, trabalhar no salão é um prazer. Amo transformar a pessoa. Apesar de que muita gente fala que a transformação não vem de fora para dentro, ela dá uma força pra pessoa, dá dignidade pra uma pessoa que não está bem. Na hora em que a pessoa se olha no espelho e vê que está bem, isso a ajuda a se transformar internamente. Então, em um certo momento da minha vida, eu pensei: vou montar um salão no qual eu acredito.

 

E como é o salão no qual você acredita?

Primeiro eu pensei: quero um salão para todos; para quem tem cabelo crespo, liso, grande, louro… E depois: quero também um salão pro cadeirante, para não precisar tirá-lo da sua cadeira e transportá-lo para o lavatório. Quero que ele chegue e se sinta à vontade.

Então, quando fomos criar um slogan para o salão, saiu: Para cada beleza, o Seu Salão. É este salão [ela aponta para o espaço que montou], que é seu.

Dentro dessa perspectiva, surgiu ainda outra coisa: existe a moda. Muita gente que vem aqui segue a moda. E existe, para cada beleza, o seu salão. Eu sigo alguns cabeleireiros no Instagram e noto: os cabelos que eles fotografam são todos iguais. E eu sou muito preocupada em buscar, junto com o cliente, qual é a beleza dele. Às vezes a pessoa, que se acha feia, só precisa de um recurso, de saber lidar com o cabelo que tem. Sempre me sento com a pessoa e converso, pergunto da rotina, como gosta do cabelo. Vou entendendo como é o cabelo dela para conseguir encontrar um corte adequado. E vou orientando a pessoa.

 

Você tem muitas histórias para contar, a respeito da busca da beleza individual?

Já recebi pessoas que fizeram quimioterapia e também redução de estômago – e o cabelo tinha caído muito –, que chegaram aqui muito insatisfeitas com a aparência. Após nossa conversa, e a escolha de um corte adequado, uma dessas pessoas não conseguia para de rir, satisfeita, dizendo que iria abandonar a peruca e sair com os cabelos ao vento. E ela já estava bonita antes; faltava só acreditar.

 

Talvez ela precisasse de alguém que a escutasse, entendesse os conflitos pelos quais estava passando.

Sim, as pessoas às vezes precisam apenas ter confiança.

 

Como surgiu o salão?

Bem, eu pensei: vou fazer o que acredito. Chamei um arquiteto e pedi um salão com acessibilidade. Com relação ao lavatório, fui a uma feira de mobiliário para salão de beleza em SP. Passei o dia visitando estande de móveis; nenhum tinha o lavatório para cadeirantes, a não ser no catálogo. Alguns falaram que tinham o lavatório portátil, mas ele é horroroso, é um quebra-galho. Por fim, achei um lavatório de uma marca italiana, uma peça com design, e por isso muito cara. É uma peça sem cadeira, não é propriamente uma peça destinada a cadeirantes. Estava quase desistindo, quando achamos um razoável, sem a cadeira acoplada. Tiro a cadeira quando recebo um cadeirante.

 

No banheiro, há barras de segurança, vaso sanitário sem a famigerada abertura frontal, espaço sob a pia para aproximação da cadeira de rodas. E a lixeira não tem pedal! Eba!

No banheiro, há barras de segurança, vaso sanitário sem a famigerada abertura frontal, espaço sob a pia para aproximação da cadeira de rodas. E a lixeira não tem pedal! Eba!

 

 

Na foto, Kátia Ferraz se prepara para ficar ainda mais bela. Veja que a cadeira de rodas tem como se "encaixar" no lavatório

Na foto, Kátia Ferraz se prepara para ficar ainda mais bela. Veja que a cadeira de rodas tem como se “encaixar” no lavatório. Basta que uma das poltronas seja removida.

 

Avaliação

 

Vamos a uma avaliação do salão da Flávia? Não, ele não é perfeito, e ela está ciente disso. Mas é muito importante que alguém tenha tido essa iniciativa, bem-sucedida, em minha opinião. Acredito que a ação da Flávia precisa ser divulgada para ajudar outros proprietários a compreenderem a demanda por espaços acessíveis.

Se nós, usuários de cadeiras de rodas, não reivindicarmos e não buscarmos ser atendidos com dignidade, se continuarmos aceitando gambiarras e improvisos sem reivindicar melhorias, é este o mundo que teremos pra nós: um mundo de gambiarras e “soluções” provisórias.

 

Pontos positivos:

  • Entrada sem desnível
  • Balcão de recepção na altura da cadeira de rodas
  • Bancada para corte dos cabelos com poltronas removíveis
  • Lavatório com bacia que pode ser ajustada à altura da pessoa em cadeira de rodas
  • Lavatório sem cadeira acoplada; ela é retirada para dar lugar à cadeira de rodas
  • Banheiro muito bom: porta com 80cm de largura e barra para facilitar a abertura; lavatório sem gabinete, o que torna possível a aproximação frontal da cadeira de rodas; espelho em altura adequada; toalheiro em altura adequada; barras no vaso sanitário; lixeira sem pedal.
  • Pessoal simpático, cooperativo e proativo
  • 2 vagas para cadeirantes na calçada do outro lado da rua, em frente ao salão; estacionamento pago próximo.
  • Rebaixamento de calçada em frente às 2 vagas.

 

Situações desfavoráveis para cadeirantes:

  • Leve degrau (2cm) na porta do banheiro, fácil de resolver. A Flávia se comprometeu a solucionar o problema.
  • Saboneteira fora do alcance do cadeirante, situação também fácil de resolver.
  • O salão se localiza numa rua muito íngreme.
  • O rebaixamento de calçada (rampinha de acesso) próximo às vagas reservadas é problemático e traz riscos à segurança do cadeirante, porque há uma canaleta para o escoamento da água da chuva causando um desnível entre o meio-fio e o asfalto. Uma solução poderia ser transpor a sarjeta com uma placa de aço chumbada na calçada e na via, deixando livre o espaço embaixo para o escoamento da água. Ainda estamos buscando informações a respeito para tentar resolver a questão. Para entender melhor a situação, clique aqui para ler um post que ilustra o problema.

 

De portas abertas

As dificuldades no salão da Flávia são a rua íngreme e o desnível entre o asfalto e o meio-fio. No mais, ele é adequado, confortável e recebe muito bem o cadeirante ou a pessoa com mobilidade reduzida.

É relevante no Seu Salão a acessibilidade atitudinal, já que a equipe oferece um tratamento digno à pessoa com deficiência. Isso deveria ser comum, mas ainda não é. E a Flávia, então, surge como referência para outros salões que queiram fazer bonito, mostrando que estão atentos às especificidades das pessoas, prontos para atender a todos.

Sabe o que você poderia fazer? Mostrar este post no salão que vc frequenta. Quem sabe isso pode representar um incentivo, ou até uma pressão “básica” em busca de mudanças? 😉

 

Atualização:

A equipe do programa Faça Parte, transmitido pela TV Record Minas, apostou na importância deste tema e produziu uma reportagem sobre o assunto. Ficou ótima! Clique abaixo para assistir.

 

 

 

Para saber mais:

 

Salão de beleza inclusivo no blog do Thiago Helton

 

O Seu Salão

(31) 3318-0518

Rua Sebastião Fabiano Dias, 201 – Belvedere – Belo Horizonte

 

Não seria útil se o salão fosse acessível, mas os serviços não tivessem qualidade, concorda? Por isso fiz questão de avaliá-lo também nesse quesito. Cortei e hidratei os cabelos e fiz as unhas. Fiquei satisfeita com o resultado!

Não seria útil se o salão fosse acessível, mas os serviços não tivessem qualidade, concorda? Por isso fiz questão de avaliá-lo também nesse quesito. Cortei e hidratei os cabelos e fiz as unhas. Fiquei satisfeita com o resultado!

 

 

 

Compartilhe

8 Comments

  1. Nossa que maravilha isso! Vou lá fazer uma hidratação para conhecer. 😀

  2. Muito legal! Adorei seu blog e suas dicas, sempre mostrando as novidades
    beijoos

  3. Ola
    Meu nome e Euny e sou dona de um salão em Sao Paulo Capital,muito obrigada pelas suas informações ,serao de grande utilidade para mim.

    Grata

    Euny Moreira

  4. Olá! É sempre bom verificar que os estabelecimentos estão sendo projetados com respeito á diversidade humana. Tenho apenas uma pequena observação. Para atender à NBR 9050, deveria existir profundidade livre sob o tampo de no mínimo 0,30 m, de modo que a Pessoa em Cadeira de Rodas tenha a possibilidade de avançar sob o balcão sem empecilho para os pés.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *