Montanha para Todos

 

Juliana Tozzi e Guilherme Cordeiro estiveram em Belo Horizonte em 18/11 para lançar em terras mineiras o projeto Montanha para Todos, que promove a inclusão de pessoas com deficiência no montanhismo. Eu estive lá e vou contar tudo pra vcs!

 

Estou com Juliana Tozzi na palestra que ela e Guilherme realizaram em Belo Horizonte, na loja Adrena.

Estou com Juliana Tozzi, na palestra que ela e Guilherme realizaram em Belo Horizonte, na loja Adrena, para falar do Montanha para Todos. (As fotos pertencem ao meu acervo, exceto quando indicado)

 

 

Por Laura Martins

 

O Montanha para Todos traz em seu DNA uma história de amor. Do amor de Guilherme por Juliana, do amor de Juliana pela vida e pelas trilhas, do amor de várias pessoas que estão apoiando o projeto. Elas se unem ao casal para materializar cadeiras adaptadas capazes de transportar pessoas que amam caminhar na natureza, mas que não conseguiam se aventurar pelas trilhas por causa da deficiência ou da mobilidade reduzida.

É esta história que eu conto pra vcs agora.

 

No meio do caminho tinha uma doença rara

 

O casal Juliana e Guilherme se preparava para ter seu primeiro filho. Ambos jovens, já amavam o montanhismo, mas deram uma pausa nos projetos para viver esta outra aventura. Juliana, pouco antes, havia tido câncer de mama e se encontrava recuperada. Porém, no segundo mês de gestação, começou a notar perda de movimentos. Felizmente, a gestação pôde prosseguir, e hoje Benjamim já está aprendendo a andar. Juliana, após realizar os mais diversos exames, recebeu o diagnóstico de que tinha adquirido uma doença rara sem perspectiva de cura.

Guilherme, então, de forma determinada, resolveu que sua parceira não iria abrir mão dos esportes que tanto amava. Foi assim que, pesquisando e colocando a cabeça para funcionar, desenvolveu uma cadeira adaptada, capaz de transportar a esposa aonde ela bem entendesse. Para isso, bastariam determinação, adaptações e, como eles fazem questão de frisar, amigos, que estão presentes em todas as horas e que auxiliam não só montanha acima – e abaixo –, mas a viabilizar todo o projeto.

Essa história eles têm contado em palestras e reportagens, de forma leve e terna, contagiando todo mundo com a energia que demonstra que o amor pode transportar montanhas, ou melhor, pode te transportar até as montanhas. 😉

 

Julietti vai, Julietti vem

 

E assim nasceu a Julietti, a cadeira que vem sendo aperfeiçoada dia a dia: agora ela já tem encosto e assento removíveis, por exemplo, e até cinto de segurança.

Mas eles decidiram que não apenas Juliana teria acesso ao montanhismo. Resolveram fazer mais cadeiras e doá-las, a fim de promover uma revolução no montanhismo, transformando-o em um ambiente mais inclusivo. Assim ficou decretado que todas as pessoas poderão realizar trekking, desde que levem pelo menos dois amigos para empurrar/puxar a Julietti, que é, na verdade, uma liteira moderna.

O projeto cresceu, ganhando muitos apoiadores. Hoje eles viajam para contar essa história e levar cadeiras pra todo canto. Minas Gerais fica com a quarta cadeira, mas já há outras prontas, com planejamento de serem doadas a parques nos próximos meses.

 

Montanhismo acessível no mundo

 

Quem se interessa por turismo, certamente já constatou que há cadeiras off-road semelhantes à Julietti em outras partes do mundo. Existe uma francesa, denominada Joëlette, que, segundo o site Lisboa (In)Acessível, tem esse nome graças a seu inventor “Joël Claudel, guia de montanha que pretendia continuar a levar a passear o seu sobrinho Stéphane, com uma doença muscular degenerativa”.

Também já vi, em fotos, um equipamento semelhante sendo usado no Equador e em Machu Picchu. Vc pode conferir informações a respeito aqui e aqui.

O site da Joëlette é muito interessante e bem-feito; merece sua visita. Clique aqui para acessar (disponível em cinco idiomas) e ver outros tipos de cadeira, inclusive um modelo para neve. Tem vídeos também.

Em Minas Gerais, um grupo, chamado Trilhas Inclusivas, já realiza caminhadas inclusivas à Serra do Cipó. Eles não utilizam cadeiras adaptadas, mas se adaptam para conduzir as pessoas, que utilizam o próprio equipamento, seja cadeira de rodas, muletas e por aí vai.

 

Caminhada inclusiva realizada pelo grupo Trilhas Inclusivas no Parque Nacional da Serra do Cipó. (Imagem: página do grupo no Facebook)

Caminhada inclusiva realizada pelo grupo Trilhas Inclusivas no Parque Nacional da Serra do Cipó. (Foto: Marta Alencar)

 

Cadeira adaptada transporta pessoa com deficiência a Machu Picchu. (Imagem retirada do site Peru Tours)

Cadeira adaptada transporta pessoa com deficiência a Machu Picchu. (Imagem retirada do site Peru Tours)

 

 

A fome com a vontade de comer

 

Algo que sempre me chamou a atenção nas pessoas sonhadoras é que muitas delas não têm disciplina e determinação para materializar seus sonhos. Pude perceber, porém, que isso não acontece com o casal Juliana-Guilherme: os olhos brilham o tempo todo, o sorriso está sempre presente, mas os pés estão na terra, mesmo plantados nas montanhas mais altas.

 

Juliana e Guilherme em palestra realizada em Belo Horizonte

Juliana e Guilherme em palestra realizada em Belo Horizonte

 

Guilherme demonstra que tem ampla capacidade de planejamento (ele é engenheiro), e Juliana dá banho de determinação e capacidade de se adaptar às constantes mudanças exigidas por sua nova condição física.

Nada de lamúrias e de vitimização. Com seu jeito calmo e lúcido, o casal mostra que valeu a pena promover uma virada na própria vida para valorizar o que têm de mais precioso: o momento presente, que eles teimam em compartilhar entre os três (Guilherme, Juliana e Benjamim) e, que bom, conosco também!

Foi uma satisfação conhecê-los!

E, no fim, resta um aprendizado importante: se não é possível estender rampas e elevadores nas montanhas ou em outros lugares até então inacessíveis, que seja criado um jeito de levar até lá pessoas que estejam impossibilitadas de fazer isso do modo convencional.

 

Antes da palestra, Guilherme monta a cadeira Julietti para mostrá-la ao público presente.

Antes da palestra, Guilherme monta a cadeira Julietti para mostrá-la ao público presente.

 

Nota: As cadeiras Julietti estão sendo doadas aos parques para utilização gratuita por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Em cada local, é escolhido um tutor para ela. Ainda não tenho a informação de quem será o tutor no Parque Nacional da Serra do Cipó. Atualizarei este post logo que souber.

 

Para saber mais:

 

Facebook do Montanha para Todos

Montanha para Todos no site do Gustavo Ziller

Reportagem sobre o casal no Fantástico

 

Juliana fazendo trilha, em foto retirada do Facebook do Montanha para Todos.

Juliana fazendo trilha, em foto retirada do Facebook do Montanha para Todos.

 

E, neste vídeo, conheça a Joëlette francesa

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *