Ilha de Paquetá (RJ) para cadeirantes

 

Renata Glasner nos leva a passear por Paquetá, um bairro do Rio de Janeiro que fica na Baía de Guanabara e é uma charmosa e encantadora ilha. Praticamente desconhecida dos turistas, está acessível para as cadeiras voadoras.

 

Na foto, os pedalinhos da Praia da Guarda, em Paquetá, no pôr do sol (todas as fotos pertencem ao acervo de Renata Glasner)

 

Por Renata Glasner*

 

O projeto era fugir do Rio sem sair do Rio. Apesar de existirem na cidade diversos refúgios, nada melhor para isso do que Paquetá. Imagina um bairro da cidade do Rio de Janeiro onde não entram carros, o principal meio de locomoção é a bicicleta e se é capaz de observar o outro com tanta tranquilidade que o bom-dia sai tão naturalmente que embaraça quem está acostumado com a correria de uma cidade grande. Pois é, estamos em Paquetá.

Para chegar até lá peguei a barca na Praça XV, no centro da cidade, e sem problemas de acessibilidade eu já me senti viajando (inclusive dentro da barca tem banheiro adaptado).

 

 

Nas fotos acima, praias em Paquetá e Renata com marido e filha na Ponte da Saudade.

 

A maioria das ruas do bairro são planas, de forma que não passei nenhum sufoco.

Restaurantes e hotéis, eu não encontrei nenhum acessível, mas nada que não me fizesse voltar para casa no final do dia de alma lavada.

A estação das barcas na Ilha também é acessível, com rampas e banheiro.

Enfim, mais um lugarzinho que entrou no meu coração e vai me ver muitas vezes.

 

*Renata Glasner | Faz 8 anos que Renata recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla. Na época, ela já era casada, e a filha tinha apenas 4 meses. Enquanto uma aprendia a andar e a pular, a outra desaprendia… Mas, como nossa amiga não é chegada a dramas, foi ser feliz! Ela faz fisioterapia, surf adaptado e yoga. A doença está controlada e não a impede de sair, viajar e alcançar pequenas vitórias no cotidiano.

Ela prefere divulgar quem faz direito do que ficar com raiva de quem não faz. Percebe que essa postura ajuda a mudar os locais que frequenta! E é por isso que se colocou à disposição para compartilhar dicas da Cidade Maravilhosa conosco. Agora, ela é a “correspondente” do blog no Rio. Obrigada, Renata!

 

Para saber mais

 

Ilha de Paquetá

Paquetá: um oásis de tranquilidade

Acessibilidade nas barcas para Paquetá

Horário das barcas

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *