Cadeira Voadora recebe o prêmio Gentileza Urbana

 

 

“Nossas rodas podem ganhar o mundo”, repete o Cadeira Voadora, insistentemente, aonde quer que vá
(Foto: Júlia Duarte)

 

Um dia percebi que compartilhar informações em um blog poderia ser um poderoso instrumento de transformação: da vida de quem lesse, da sociedade, de mim mesma.

Compartilhar experiências de viagem poderá ter parecido fútil para muita gente. Mas sair de casa, ter lazer e viajar – ou seja, EXPERIMENTAR o mundo – é um desejo tão digno e expressa nossa humanidade tanto quanto qualquer outro.

Vi que, quando a pessoa com deficiência tem coragem para simplesmente sair de casa, ela alça um voo muito maior: se transforma em promotora de mudanças sociais.

Sabe por quê? Porque ela se depara com desafios arquitetônicos e atitudinais e começa a protestar, descobrir os meios para mudar a situação, exigir mudanças. Assim, a roda do mundo gira. O mundo muda quando a gente sai do casulo e começa a fazer parte.

 

Reunião com pessoas de diversas áreas para organizar a participação das pessoas com deficiência como palestrantes e coordenadoras de oficinas no Museomix MG 2017

 

Também constatei que, tanto quanto as pessoas com deficiência, o blog se comunicava também com profissionais de diversas áreas ligadas às demandas do nosso segmento. Designers, estilistas, arquitetos, jornalistas, profissionais e estudantes de diversas áreas têm entrado em contato comigo para desenvolver projetos, fazer entrevistas, pedir opinião, embasar TCCs.

Por isso, o blog Cadeira Voadora tem renovado seu fôlego diariamente para continuar oferecendo experiência, informação de qualidade, reflexões pertinentes e embasadas, tudo em textos autorais. O universo do turismo se ampliou e abraçou o do direito, da sexualidade, da beleza, da moda e muito mais, contando com a colaboração de diversas pessoas.

 

Laura Martins com Thiago Helton na gravação do programa Faça Parte, da TV Record

 

Gentileza Urbana

 

Hoje à noite, recebo do Departamento de Minas Gerais do Instituto dos Arquitetos do Brasil o prêmio Gentileza Urbana, na categoria Cidadania, pelo trabalho desenvolvido no Cadeira Voadora.

Eu não poderia receber um prêmio mais bonito: constatar que meu trabalho está sendo reconhecido como gentileza e como instrumento para tornar a cidade melhor é muito gratificante.

Mas tenho consciência de que este prêmio não pertence só a mim. Por isso, desejo compartilhá-lo com todas as pessoas que me ajudam cotidianamente, não apenas a fazer o blog, mas a ser uma pessoa cada vez mais conectada comigo mesma, com o outro, com a Vida.

 

Crachás da equipe Cadeira Voadora no Museomix

 

Mas quero compartilhá-lo principalmente com o leitor. Mais do que todas as outras pessoas, são eles que me motivam a continuar sempre e a fazer o blog cada vez melhor. O sucesso dele não se mede em curtidas ou compartilhamentos, mas nos e-mails e comentários que recebo, dividindo experiências enriquecedoras e contando as mudanças empreendidas a partir da leitura dos posts.

Posso dizer que a maior beneficiada sou eu, e isso não é retórica. Tenho aprendido muito com toda essa partilha, feito amizades e recebido amor. Sobretudo, tenho tido oportunidade de dividir com cada um de vocês o amor que tenho pela Vida e pelo ser humano.

 

Palestra de Laura Martins no Seminário Acessibilidade BH 2015 (Foto: Mariana Gil-EMBARQ Brasil )

 

Comecei o blog há alguns anos movida pela indignação diante da exclusão da pessoa com deficiência e convicta de que o compartilhamento de experiências atuaria como motor.

Hoje, confesso: continuo a fazê-lo para expressar meu amor pela Vida e para colaborar com ela. Me desculpem a falsa modéstia ao dizer que posso colaborar com ela, mas sou assim mesmo: acredito no poder do amor.

 

Convite

 

Todos estão convidados para a cerimônia de premiação!

Local: Auditório do Prédio Anexo do Museu Abílio Barreto
Data: 11/12/2017, às 19 horas
Endereço: Av. Prudente de Morais, 202 – Cidade Jardim – Belo Horizonte

Tem acessibilidade para cadeirantes – entrada pela Prudente de Morais.

Nos encontramos lá!!

 

De acordo com Rose Guedes, presidente do IAB-MG, organizador do prêmio Gentileza Urbana:

“Não é só ajudar uma velhinha a atravessar a rua ou ceder lugar no ônibus. Isso se chama educação, é básico e uma obrigação. Gentileza urbana não é altruísmo para se autopromover ou caridade. É incorporar o outro nas suas atitudes. Pensar de forma sustentável, preservar o patrimônio, a memória. É afeto com a cidade e atentar para as pessoas que nela habitam”.

 

1º Encontro dos Amigos do Cadeira Voadora: mais da metade conheci por causa do blog

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *